A Lastimosa História de Lez

Papa to Kiss em seu provável único grande momento


Vamos chamá-la de Lez. Lez é uma mocinha adorável. Lez fez sua amiga assistir à Gravitation... junto aos pais. Lez diz ter mudado. Agora ela é uma garota que toma drinks descolados, vivendo seu próprio Sex and the City. E Lez anda longe das coisas terríveis. Mas as coisas terríveis continuam nos corações daqueles que conheceram o terror... por meio dela.

Oh, bem.


"Blablablabla"
- Oscar Wilde


"Acho que Papa to Kiss foi a coisa que estragou minha vida, tal era a estonteante qualidade", diz Chull (nome adotado aqui para proteger sua privacidade), enquanto janta à meia-noite e olha para a poética parede. Recentemente, Chull esteve envolvida em uma espiral de dor, em que dor significa biologia. Mas ela acha que as coisas estão melhorando. "As profundas sombras de minha alma devem ir embora em  um ano ou dois - se os animes continuarem tão bons como têm sido em 2011, obviamente. Abençoado seja Tiger & Bunny!"

Lez me fez conhecer um OVA chamado Boku wa Imoto o Suru, a história dos trágicos amantes Yori e Iku. O título meio que diz a história toda (Eu Amo Minha Irmã Mais Nova). Mas o problema não é com o enredo - não faz muito tempo que até vi uns episódios de Rebelde no Boomerang e os apreciei consideravelmente, o que mostra quão cômico meu padrão é -, mas a atmosfera ruim de animação barata e músicas péssimas e personagens que poderiam explodir e nenhum espectador em sã consciência derramaria uma lágrima. Mas Lez gostava. E conseguia ser muito, muito persuasiva.

Um ponto de discordância é Loveless. Chull diz que o anime, transmitido em 2005 e com a animação a cargo do J.C. Staff (Sorcerous Stabber Orphen - cujo nome tentei lembrar por muitos anos após ter visto o primeiro episódio em uma ocasião nebulosa... por sinal, é bem ruim -, Spiral: Suiri no Kizuna - que é bem ruim também, mas eu adoro! -, Shagukan no Shana - simplesmente ruim -, etc), traumatizou-a de tal forma que seu senso fujoshi tardou a despertar. Em minha opinião, algo com músicas como Michiyuki não pode ser tão ruim. E se você cortasse o Soubi, seria uma história bem agradável...! Sério!

O poder de uma amiga que dá indicações duvidosas é incrivelmente subestimado na sociedade em que vivemos. Felizmente, são grandes as chances de tudo virar uma grande piada tempos depois. "Definitivamente vale a pena!", diz aquela que escreveu esse interessantíssimo  post, usando aspas e terceira pessoa simplesmente porque pode.

Fiquem com o vídeo que mostra a abertura de uma das grandes indicações de Lez. Tudo que é sombrio termina com você dando as mãos para seu(ua) amado(a) e correndo alegremente. Acho que há uma lição aí.

0 comentários:

Postar um comentário