Maria-sama ga Miteru: o bom tédio


Lembra dia frio, lareira e café. Bom, eu não tenho uma lareira. E odeio café. E moro numa cidade que não tem lá muitos dias frios...

... Bom, lembra raro dia de chuva, lençol e Ovomaltine. Provavelmente eu estaria vendo TV ou lendo algo ou na internet procurando por algo levemente interessante, o que meio que destrói a metáfora. Ok. Esquece tudo. Lembra tardes - não importa como o tempo esteja - em que estou jogada no sofá e começo a ficar com sono. É gostoso. É um tédio. Tipo Dawson's Creek (... série que só consigo ver se estiver nessas condições, por sinal). É Maria-sama ga Miteru, o mangá.

Você provavelmente já ouviu falar de - vamos enfiar o apelido aqui por razões de preguiça - Marimite. Chegou ao meu conhecimento há uns anos, quando o Mundo dos Animes ainda parecia uma terra misteriosa, com taaanto a descobrir (não que eu tenha descoberto muito até o presente momento, mas parte da mágica quebrou, sabe? Não porque a indústria dos animes está em declínio ou sei lá, mas porque, não sei, acho que cresci... e nunca me perguntaram se queria que isso acontecesse!). Vi uns poucos episódios mas a coisa toda me deixava sonolenta. 

Não sono-legal, mas sono tipo quando eu quero fechar os olhos e me entregar aos sonhos, mas me recordo de que provavelmente vou acordar com cãibras, me sentindo mal e com o horário bagunçado.

Aí tempos depois - precisamente, 2010! - resolvi ler o mangá, da Nagasawa Satoru. Ainda está sendo publicado, e eu só li os capítulos que o Lililicious (um grupo que tem muitos projetos interessantes, tipo Rose of Versailles) traduziu - até o quinto tankobon. O mangá é conhecido por ser mais fiel aos livros - Marimite é uma série de light novels escrita por Oyuki Konno, que começou em 1998 e hoje conta com 38 (!) volumes. Não sei se mais fiel significa mais lento e, portanto, com mais tempo de desenvolver as coisas do que no anime - talvez?  Enfim, eu amei.

Sim, é um tédio.

Mas é um tédio legal.



Ok, ok, sei lá, tem algo de muito tranquilizante em ler essa história. Talvez não conseguisse sentir isso no anime porque você espera algo um pouco mais dinâmico quando está encarando uma tela. As personagens de Maria-sama... vivem num mundo paralelo. Não, não é ficção científica! Mas é que elas habitam esse universo tão protegido e pacífico - alguém poderia dizer que é a cultura japonesa ou algo assim mas, qual é, não vamos forçar. Tudo é super idealizado, a atmosfera "feminina" (uma palavra com que tenho problemas porque, bem, o que é feminino? Mas vamos nos ater aos estereótipo de delicadeza&doçura aqui, já que o negócio é mesmo bem nada realista).

Bom, certo... uma sinopse? Uma sinopse. Te dou essa: um colégio católico chamado Lillian. Um monte de garotas. Às vezes - a cada século - um cara aparece na história. Ah, a protagonista, Yumi, é incrivelmente sem graça, o que estranhamente não me incomoda. Acho que porque tudo em Marimite é sem graça... mas lindamente sem graça. Uau, como conseguem fazer isso? Um mistério. Mas minha personagem favorita é a Sei, acho que porque ela injeta um pouco de normalidade nesse leeeeeeento mundo.

Eu adoraria ver o mangá de Maria-sama ga Miteru publicado aqui - talvez pela NewPop? -, mas ao mesmo tempo sinto que não seria muito bem-sucedido. Pessoas que hipoteticamente se sentissem atraídas pelo título por causa de um fetiche garota-com-garota provavelmente se desapontariam - até o ponto em que li, não rola muita... ação. E nem falo de sexo, falo de... qualquer coisa. Enfim, é um sonho distante, então já ficaria bem feliz se uma editora americana lançasse por lá, aí poderia comprar com amor e carinho.

E assim, podemos concluir que... (FRASES ENROLATIVAS APRENDIDAS EM AULAS DE REDAÇÃO)... Maria-sama ga Miteru é recomendado para os que curtem emoções mornas... o que quer dizer "tédio".

2 comentários:

Neg disse...

Eu sempre achei o mesmo de Marimite, acho que exatamente por isso que consegui terminar _três seasons_ kdjglfdg

Geralmente gosto de animes/mangás/whatever com esse ~feeling~ calmo ):

Thaís Cavalcante disse...

Como disse, não sou otaku mas curto mangás! HAHAHHAHAHA

Não tinha ouvido falar deste, mas parece ser diferente do que já vi de mangás (Samurai Champloo, Naruto...)

:P

Beijos!
http://pronomeinterrogativo.blogspot.com/

Postar um comentário